O Brincar Terapêutico: Estratégia clínica da Psicomotricidade com abordagem Relacional no tratamento da criança com Transtorno do Espectro do Autismo – Caso clínico

  • admin admin
  • Ediusa Araujo Faculdade Famaqui
Palavras-chave: Psicomotricidade, Relacional, brincar, Autismo, desenvolvimento infantil

Resumo

A Psicomotricidade é uma ciência instigante e repleta de minúcias contidas e
representadas pelo brincar terapêutico, e através da abordagem Relacional possibilita
perceber a pessoa globalmente. Elencamos um caso clínico do Transtorno do Espectro
Autista para nossa abordagem vista suas singularidades, complexidades e resultados
positivos observados, quando expostos a abordagem relacional na clínica interdisciplinar
CreSer. Para observações e desenvolvimento de pesquisas, a dinâmica de intervenções e
resultados são nossos maiores e melhores estímulos. Neste cenário, a Psicomotricidade,
com abordagem relacional, e o brincar nunca poderão ser vistos como coadjuvantes.
Ambos são importantes protagonistas no desenvolvimento infantil e favorecem as relações
em diversas instâncias, além de terem caráter estruturante.

Referências

LENT, R., Cem bilhões de neurônios: conceitos fundamentais de neurociência. 2.ed.São
Paulo: Editora Atheneu, 2010.
KANDEL, R.E., Princípio de Neurociências. 5.ed.Porto Alegre: Editora Amgh Editora,
2014.
MERCADANTE, T. M.; ROSARIO, M. C. Autismo e cérebro social. São Paulo: Segmento
Farma, 2009.
MASTRASCUSA, Celso e FRANCH, Núria. Corpo em Movimento. Corpo em Relação:
Psicomotricidade Relacional no ambiente educativo. Porto Alegre: Editora Evangraf,
2016.
FONSECA, Vitor da. Manual de Observação Psicomotora: Significação psiconeurológica
dos fatores psicomotores. Artes Médicas, Porto Alegre, 1992.
FONSECA, Vitor da. Psicomotricidade Filogênese, Ontogênese e Retrogênese. 3ª ed. -
Rio de Janeiro: Wak Ed., 2009.
LEVIN, Esteban. A infância em cena: Constituição do Sujeito e Desenvolvimento
Psicomotor. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.
MATTOS, Vera e KABARITE, Aline Perfil. Psicomotor: um olhar para alem do
desempenho. Rio de Janeiro: Editora Rio, 200
MATTOS, Carlos. Psicomotricidade Clínica. São Paulo: Editora Lovise, 2002.
DSM-5 / Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders ou Manual de
Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais). Porto Alegre: Artmed,2014.
VYGOTSKY, L.S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 2 ed., 1989
WALLON, H. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
WALLON, H. As origens do pensamento na criança. São Paulo: Manole, 1989.
HTTP://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-79722000000100017&script=sci Autismo:
breve revisão de diferentes abordagens
https://psicomotricidade.com.br/
Sociedade Brasileira de Psicomotricidade
Publicado
2021-04-12